Dicas para discursivas: estrangeirismo x clareza.

Olá, pessoal.

É natural termos de utilizar, eventualmente, palavras estrangeiras (estrangeirismo) em provas discursivas (redação) de concursos públicos. Isso ocorre, por exemplo, devido à importância do Latim na formação da Língua Portuguesa, bem como ao uso de diversas expressões latinas utilizadas em textos jurídicos.

Ademais, em um mundo cada vez mais globalizado, expressões da Língua Inglesa também passam a compor o vocabulário dos brasileiros.

Entretanto, deve-se tomar o devido cuidado para que a clareza do seu texto não seja prejudicada.

Em textos técnicos de concursos públicos, a clareza é qualidade essencial e um dos quesitos de avaliação da banca examinadora. Uma condição para obtê-la é evitar o emprego de palavras estrangeiras, a menos que seja estritamente necessário.

  • Por que escrever “performance”, se temos, na língua portuguesa, “desempenho”, “atuação”?
  • É preferível mencionar que o magistrado possui “experiência” (ou “habilidade”) a “expertise” para sentenciar;
  • Um elemento limitador para o “aperfeiçoamento” (em vez de “upgrade”) da educação no Brasil é o “orçamento” (em vez de “budget”);
  • A “data-limite” (em vez de “deadline”) para enviar o PPA ao Legislativo é o dia 31 de agosto;
  • O juiz teve a “percepção” (despreze “feeling”) de que os bandidos se entregariam;
  • A equipe de auditoria trabalhou em “tempo integral” na fiscalização (evite “full time”).

Uma última observação importante:

Não se esqueça de utilizar aspas para caracterizar o estrangeirismo!

Se utilizar palavra estrangeira sem aspas, certamente perderá alguns pontos preciosos em seu texto.

É isso, pessoal.

Foco nos estudos e estejam atentos às próximas dicas que traremos para aperfeiçoar seus textos.

Abraço.

Carlos Roberto

Instagram: prof_carlosroberto

Compartilhe este conteúdo:

Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no telegram
Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin